Desafio da maternidade: por que não fiz

mae-cansada

(arquivo pessoal)

Essa semana começou a rolar um desafio da maternidade, em que uma mulher é desafiada a postar fotos suas com seus filhos, falar sobre a delícia de ser mãe e depois passar o desafio para frente.

Pois bem, eu fui desafiada por algumas amigas muito queridas. Confesso que fiquei com preguiça de fazer o desafio, mas depois da postagem que vi ontem em grupos de mães, desisti de vez de entrar na brincadeira. Explico:

Uma mãe resolveu fazer um protesto em meio ao desafio. Indo na contra mão da brincadeira, que mostra através de fotos e textos a beleza e delícia de ser mãe, ela falou a sua realidade. Em um texto no Facebook, ela explicou que não aceitava o desafio e relatou as dificuldades que sente com a maternidade. Comenta sobre a falta de apoio, principalmente com mães super jovens; falou de todos os seus perrengues; dos problemas com a amamentação; do cansaço; de como é complicada a dedicação excessiva… Enfim, ela disse que não gostava de ser mãe, mas que amava muito o seu filho. E propôs um novo desafio, o de falarmos sobre maternidade real.

Após o post, a internet caiu matando. O relato foi compartilhado milhares de vezes e a jovem mãe foi xingada e desrespeitada por muita gente. Eu mesma li comentários dizendo que a jovem não deveria ter tido filho, já que pensava assim. A agressividade na rede foi tamanha, que ela foi denunciada pelo Facebook e sua conta acabou deletada.

Mas, afinal de contas, essa mãe estava errada? Na minha opinião, não! O que acho que a maioria das pessoas não entendeu em seu protesto, foi que essa mulher não estava querendo desmerecer ninguém ou que preferia não ter tido filhos, como a maioria apontou. O que ela quis, foi chamar atenção para essa mistificação da maternidade e, principalmente, para o que a sociedade espera de nós, mães.

Eu amo ser mãe? Não sei. Há dias que eu detesto. Em outros eu adoro! É que na realidade eu nunca tive o sonho de ser mãe, mas sempre quis ter filhos. Isso, porque eu sei que socialmente, ser mãe é muito difícil e ainda existe muito preconceito sobre isso. É que ser mãe é ter que continuar ser a mulher de antes, mas com uma vida totalmente diferente. É ser olhada torto pelo chefe logo após a volta da licença maternidade. Ser mãe é ter propostas de emprego recusadas, mesmo você sendo a melhor pessoa para ocupar o cargo naquela empresa. É ter que sair da escola para cuidar do filho. Ser mãe é perder noites de sono enquanto o pai tem que descansar para trabalhar no dia seguinte. Ser mãe é ter febre e não poder ficar de cama. Ser mãe é ter que sair no meio do expediente para atender o filho doente. Ser mãe é ter seu corpo modificado depois do parto. Ser mãe é ver seu peito cair depois da amamentação. Ser mãe é não poder mais sair quando bem entender ou chegar mais tarde em casa. Ser mãe é não ter tempo mais para você. Ser mãe é ter que se manter firme, mesmo depois de três horas de choro do seu filho, sem nenhum motivo aparente. E, muitas vezes, ser mãe é estar sozinha no mundo.

Mas ao mesmo tempo, ser mãe é maravilhoso. É ter orgulho do seu filho. É receber o maior amor que alguém pode ter. É sentir algo dentro da gente que é inexplicável. É querer sorrir quando seu filho sorri para você, mesmo depois da pior noite da sua vida. E olhar para aquele (ou aqueles, no meu caso) serzinho lindo e sentir todo aquele cansaço ir embora.

Ser mãe é muito bom, mas é uma merda!

E sabe, acredito que temos sim que falar sobre isso. Afinal, essa é a proposta desse blog, né?!

Então, gente, da próxima vez que lerem algo como o relato sincero de uma mãe desmistificando a maternidade, antes de julgarem, olhem para si mesmas. Quantas vezes vocês não se perguntaram: “por que mesmo eu quis ter filho?”. Quantas vezes vocês se pegaram pensando se realmente fizeram a coisa certa. E quantas vezes mais tudo isso passou e ficou tudo bem depois.

É isso! Por um mundo com mais autorreflexão e menos julgamentos!

Anúncios

10 pensamentos sobre “Desafio da maternidade: por que não fiz

  1. Eu tenho muito orgulho da mãe que tu é, mas principalmente de ter em ti uma amiga, Mari! Li e reli esse texto e, toda vez que chega na parte em que tu fala um pouco sobre ti, me enche os olhos aqui ❤

    Love u!

    Gostar

  2. Mari adorei o seu texto e vi o relato da menina na qual disse que odeia ser mãe….Acho que a forma como ela colocou foi agressiva e particularmente eu não gostei de como ela colocou. …
    Eu fui mãe aos 21 anos e foi muito difícil em todos aspectos, não tive o pai dele presente e ainda não tenho, hj meu filho esta com 12 anos, um adolescente chato e mandão, muitas vezes eu digo que estou cansada de ser mãe, mas na verdade não estou, amo meu filho tanto que chega a doer, ele é minha razão de viver………

    Gostar

  3. Adorei seu texto. Pensei mil vezes em escreve sobre isso, mas desisti. A maternidade não é fácil, criei minha filha praticamente sozinha, família longe e marido que trabalhava de segunda a segunda direto. Nunca sonhei em ser mãe também a maternidade veio meio que surpresa. Agora amo ser mãe e penso em aumentar ainda mais nossa família. Eu pensei varias vezes antes de participar do desafio, mas como Eu amo a maternidade e tenho muito mais momento felizes que triste com minha filha de apenas dois anos resolvi participar. Me senti ofendida com o texto daquela mulher, mas entendo o ponto de vista dela.

    Gostar

  4. Eu penso assim da gravidez, não gostei de ficar grávida, uma experiência não agradável para mim!!! Mas já a maternidade, ahhh sim até as noites acordadas são repletas de muito amor e paciência, minha realidade coma vida de mãe e maravilhosa!!! Então acredito que cada caso é um caso, cada gravidez; cada filho e cada dia a dia de mãe e diferente, cada pessoa encara a situação de um olhar diferente!!!

    Gostar

  5. Adorei … tenho dois filhos, trabalho fora e acho um máximo ser mãe mas tbm de madrugada quando fico por 3 horas acordada … acho uma droga … e tem tantos outros fatos difíceis…. mas tbm tem tantos outros bons …. não vi o post desta mae que está cansada …. mas respeito ela pois sei bem o quanto não é fácil 😕

    Gostar

  6. Li o seu post e o a da moça, respeito a opinião de vcs,,, confesso que o me preocupa com a declaração daquela mãe é como ela deve estar tratando o filho pq com tanta frustação e raiva as vezes a gente pode acabar descontando nos filhos e nem percebe o q está fazendo, se é q me entende!
    Mas nós as mães que sempre sonhamos tanto com a maternidade nos sentimos agredidas com essas declarações… Acho que ser mãe é tão bom que todas as dificuldades que passamos são esquecidas assim como a dor do parto… Sonhava em ser mãe desde que me conheço por gente… E com certeza esqueci totalmente de mim após ter meus filhos, desisti da minha carreira de psicóloga só pra poder ficar mais tempo perto deles e não me arrependo de jeito nenhum…
    Mas não adianta julgar, cada um é um…O nosso mundo anda tão agressivo, tantas coisas horriveis acontecendo, acho que o que falta é o amor e a gente só aprende a amar e respeitar o outro sendo amado e respeitado tbm e isso começa em casa! Acho que na verdade esse é ponto de tantos protestos e revoltas.
    Mas o que realmente importa é ser feliz e fazer de nossos filhos pessoas felizes para termos um mundo melhor.

    Gostar

  7. Você falou a mais pura verdade, concordo plenamente, amo demais meus dois filhos mais se fosse para começar novamente acho sinceramente que não teria nenhum.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s